Inteligência artificial é a nova febre em empresas

Créditos: Pixabay
Créditos: Pixabay

Este é o ano em que a inteligência artificial amadureceu para alguns dos principais ramos da economia, ao menos quanto recurso de marketing. A Salesforce, que oferece software online para vendas, anunciou que acrescentaria inteligência artificial aos seus produtos. Seu sistema, chamado Einstein, promete vislumbrar as melhores tendências de vendas que as empresas devem seguir e apontar quais são os próximos produtos a serem desenvolvidos.

[…].

Há grandes avanços com inteligência artificial em agricultura, manufatura, aviação, entre outras áreas. Tudo é muito animador, como ocorre com as grandes possibilidades, e não faltam os slogans e termos do momento. Mas será que as empresas enxergarão nisso algum valor ou compreenderão como a inteligência artificial pode ser valiosa para elas?

“Ninguém sabe ao certo como usar isso para agregar o máximo valor”, disse Marc Benioff, cofundador e diretor executivo da Salesforce. “Creio que, no momento, a ideia é ajudar as pessoas a fazerem aquilo em que são boas, delegando mais tarefas às máquinas.”

[…]

Ciência. A inteligência artificial é essencialmente uma série de exercícios avançados com base em estatística que analisam o passado para indicar o futuro provável ou observar escolhas anteriores do consumidor para descobrir onde se deve investir mais ou menos energia. Isso representa uma oportunidade, que muitas empresas receiam ficar de fora.

Boa parte da explosão atual da tecnologia remonta a 2006, quando a Amazon começou a vender poder de processamento barato na internet. Naquele mesmo ano, Google e Yahoo divulgaram métodos estatísticos para lidar com o incalculável volume de dados do comportamento humano. Em 2007, a Apple lançou o primeiro iPhone, dispositivo que deu início a uma explosão na coleta de volumes incalculáveis de dados.

Experimento. O medo de ver um concorrente se dar bem com inteligência artificial antes é motivação de sobra para que algumas empresas experimentem novidades nesse campo.

A Salesforce está vendendo o Einstein como sistema capaz de usar a magia da previsão sem a necessidade de analisar seus dados, numa jogada que Benioff descreve como “democratizante” e capaz de criar milhões de usuários fora da comunidade dos engenheiros.

A inteligência artificial está provavelmente destinada a algo semelhante: com ela, as empresas poderão analisar imensos volumes de dados, em tempo real. Quando chegarem a esse objetivo, ninguém poderá imaginar qual será a nova e estranha febre tecnológica que surgirá.


Confira a matéria completa em: http://link.estadao.com.br/noticias/inovacao,inteligencia-artificial-e-a-nova-febre-em-empresas,10000077021

GOSTOU DO CONTEÚDO?
Receba nosso conteúdo semanalmente por email!
Odiamos SPAM! Seu email nunca será compartilhado.