Inteligência artificial consegue prever quando pacientes irão morrer

doente_eutanasia_dr5447d0ed-1024x576

Um grupo de investigadores da Universidade de Stanford, nos EUA, está testando sistemas com inteligência artificial para prever a altura da morte de pessoas com doenças graves ou terminais e assim aumentar o número de pacientes que recebem cuidados paliativos antecipadamente.

“Melhorar a qualidade do tratamento de pacientes no fim da vida é uma prioridade para organizações de saúde. Estudos mostram que médicos tendem a superestimar prognósticos, o que em conjunto com inércia do tratamento, resulta em uma incompatibilidade entre o desejo dos pacientes e o cuidado real no final da vida,” escreveram os cientistas.

Uma previsão correta pode oferecer um final de vida melhor para esses pacientes, que podem escolher, por exemplo, passar os últimos dias cercados de parentes e amigos, em vez de ficarem sozinhos em um quarto de hospital.

O algoritmo-piloto, testado em mais de 200 mil pacientes, conseguiu fazer previsões com uma precisão de até 90% (o algoritmo não considera doentes com uma esperança de vida superior a 12 meses).

 

[…]

Mais detalhes em: https://www.publico.pt/2018/01/24/tecnologia/noticia/investigadores-inteligencia-artificial-morte-1800667

GOSTOU DO CONTEÚDO?
Receba nosso conteúdo semanalmente por email!
Odiamos SPAM! Seu email nunca será compartilhado.