O atual estado da Inteligência Artificial, de acordo com o CEO da Nvidia

Créditos: Pixabay
Créditos: Pixabay

Como o crescimento das aplicações na  indústria utilizando inteligência artificial, os computadores não são os únicos que têm de aprender novos truques. Andrew Nusca da Fortune entrevistou  o CEO Jen-Hsun Huang da empresa Nvidia NVDA – multinacional de tecnologia. Confira alguns trechos dessa conversa:

Qual é o status atual da inteligência artificial?

O ano de 2015 foi um grande ano. A inteligência artificial está se movendo para o mundo comercial. Vários aspectos do uso comercial de AI, também conhecido como aprendizagem de máquina, são usados para publicidade e pesquisas na web e similares. Em 2015 foram alcançados vários marcos que possibilitaram o seu uso em todos os tipos de áreas.

Houveram avanços recentes?

Sim, em uma área de AI chamada “aprendizagem profunda”. O sistema basicamente aprende por si mesmo usando um monte de dados e computação. Se você continuar mostrando imagens de uma laranja, eventualmente descobre o que é uma laranja – ou um Chihuahua versus um Labrador contra um pequeno pônei. Coisas surpreendentes aconteceram em 2015: Microsoft,  Google batiam o melhor humano no reconhecimento de imagem pela primeira vez. Baidu batia os seres humanos no reconhecimento de duas línguas. A Microsoft e a Universidade de Tecnologia e Ciência da China ensinaram uma rede de computadores como fazer um teste de QI e obteve melhores resultados do que uma pós-graduação universitária.

O que estamos vendo no nível comercial?

Google, Microsoft e Facebook FB  estão usando AI, se é o reconhecimento de voz em seu telefone ou os itens exibidos em seu feed de notícias. Estamos usando a mesma tecnologia para carros autônomos porque agora podemos alcançar níveis de percepção sobre-humanos. Agora podemos reconhecer as coisas melhor do que um ser humano. Claro que existem todos os tipos de questões no que diz respeito à gama dinâmica de nossos olhos – é muito bom, muito superior a uma câmera. Mas se adicionarmos sensores suficientes como Lidar e radar e câmeras de alto alcance dinâmico, em combinação seremos capazes de superar a percepção humana.

[…]

Isso é apenas para reconhecimento de imagem?

Nós vamos usá-lo para tudo. Nós vamos usá-lo para ensinar um carro como dirigir.

Onde estamos na curva de adoção?

O que eu posso dizer é que a AI tem se desenvolvido lentamente ao longo de 50 anos em pesquisa. E de repente no ano passado algo aconteceu. Esta nova maneira de fazer AI chamada aprendizagem profunda é tão tratável, tão compreensível – uma ferramenta que você pode aplicar para que você possa criar uma única rede para ser treinado para aprender vários idiomas e animais e coisas. No ano passado, a AI passou do conceito de pesquisa à aplicação de engenharia. E todos esses engenheiros no Facebook, Google e outros estão levando este conceito de aprendizagem profunda com todas essas estruturas, que é basicamente outra palavra para ferramentas, e transformam essas ideias em coisas de uso prático. E agora você está vendo todas essas empresas de Internet anunciando esses usos práticos. Todas as indústrias estão apenas explodindo. Dois anos atrás, estávamos conversando com 100 empresas interessadas em usar o aprendizado profundo. Este ano, estamos apoiando 3.500. Estamos falando de imagens médicas, serviços financeiros, publicidade, descoberta de energia, aplicações automotivas.

[…]


Texto traduzido e adaptado fonte: http://fortune.com/2016/03/22/artificial-intelligence-nvidia/

GOSTOU DO CONTEÚDO?
Receba nosso conteúdo semanalmente por email!
Odiamos SPAM! Seu email nunca será compartilhado.